quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Netflix chega a 53 milhões de assinantes e diz que ainda há espaço para HBO

Criada em 1997 como uma locadora de DVDs via correio, a Netflix realizou uma transformação completa nos seus negócios no fim dos anos 2000 para se tornar um dos grandes nomes do entretenimento na internet. Oferecendo uma biblioteca invejável de títulos em um sistema de rodízio – e também produzindo conteúdo próprio de qualidade –, a empresa chegou a 53 milhões de assinantes em todo o mundo e diz que não tem medo da competição com o futuro serviço online da HBO, programado para o ano que vem.
Em uma carta aos investidores e acionistas divulgada na última quarta-feira (15), o CEO Reed Hastings acredita que “ambas devem prosperar, uma vez que os consumidores estão migrando para a TV na internet”. Porém, ainda que o número de consumidores esteja perto do projetado para o fim deste ano – 57 milhões de assinantes –, a companhia tem visto uma queda no número de novas assinaturas em comparação com períodos anteriores. Acredita-se que parte dessa redução se dê por causa dos ajustes de preço feitos mundialmente pela Netflix.
Ainda assim, isso não parece estar desacelerando a empresa, que teve um salto de US$ 57 milhões para US$ 110 milhões na comparação entre os anos de 2013 e 2014. O serviço também investe num ritmo cada vez maior de produções da casa, estreando a animação Bojack Horseman – que atrai mais visualizações do que Futurama – e anunciando suas primeiras incursões em longa-metragens, com uma continuação de O Tigre e o Dragão e o contrato com Adam Sandler.
Os projetos no formato de série também seguem de vento em popa, com os fãs aguardando as próximas temporadas de Orange is the New Black e do premiado House of Cards. Os seriados Marco Polo, programado para 12 de dezembro, e Narcos – com direção de José Padilha e participação de Wagner Moura –, com previsão para o começo de 2015, devem ser os próximos lançamentos no segmento.
Além disso, a Netflix anunciou que está no meio do processo de portar o seu player nos computadores do atual Microsoft Silverlight para a tecnologia HTML5, mas ainda sem data para a implementação final no serviço – ainda que tenha sido prometida há bastante tempo.
FONTE(S)
Postar um comentário