sexta-feira, 4 de julho de 2014

Como e por que um computador trava?

Travou”, “deu pau”, “deu tilt” — todos esses são termos usados para descrever uma única situação: o momento em que, aparentemente sem motivo, seu computador deixa de funcionar. Essa situação pode resultar somente em uma tela congelada ou na famigerada “Tela Azul da Morte”, ambas situações capazes de provocar muita dor de cabeça.
Mas, afinal, por que esse tipo de cenário acontece? Encontrar uma resposta específica é difícil, visto que há milhares de elementos tanto de software quanto de hardware que podem ter como consequência esse tipo de problema.
A palavra “travamento” é usada para descrever de forma vaga uma miríade de razões pelas quais seu computador deixa de funcionar da maneira correta. De fato, muitas vezes essa situação se constitui em uma “última saída” de sua máquina, que prefere encerrar suas atividades a continuar insistindo em processos que podem danificá-la de modo permanente.

Softwares em conflito

Um dos motivos pelos quais seu computador pode deixar de funcionar corretamente e travar são problemas relacionados à maneira como um software se comporta. Isso pode se manifestar de diversas formas, seja por um sistema operacional que tenta acessar um endereço de memória incorreto, bugs no driver de um dispositivo ou falhas de programação que iniciam um loop no qual a mesma ação é executada infinitas vezes sem que seja possível escapar dela.
“Imagine se você disser a um amigo (um com a inteligência de uma máquina) para ir comprar frutas em uma loja de hardware. Essa pessoa vai lá e descobre que o item necessário não está disponível. Mas, como se trata de uma máquina, ela não tem a inteligência necessária para fazer algo diferente, como talvez ir a outra loja para comprar o que foi instruído”, explica o site Live Science.
Em outras palavras, a maioria dos travamentos resultantes de softwares se deve a falhas de programação ou a problemas de compatibilidade que fazem com eles executem tarefas de maneira incorreta ou incompleta. “Pense em um programa de computador como uma receita que diz ao computador o que fazer”, exemplifica Dave Baggett, programador que já trabalhou em games como Crash Bandicoot.
“Assim como acontece em uma receita de cookie, por exemplo, você consegue o resultado certo caso siga as instruções corretamente. Mas, se você realizar algum passo incorretamente ou fora de ordem, seu resultado vai ser ruim — e vai ser muito difícil prever desde o início a natureza exata dessa consequência: talvez os cookies saiam com um gosto estranho, porque você usou os ingredientes errados. Talvez eles fiquem crus ou sejam queimados. Talvez sua cozinha pegue fogo”, explica Baggett.
“O que devemos aprender disso é que o resultado positivo é facilmente reconhecível enquanto o ruim é um pouco arbitrário e depende das leis da física. Isso também acontece com programas de computador — só que eles envolvem bilhões de passos, que são coordenados por um pequeno chip chamado CPU, que trabalha em um ritmo de milhões de passos por segundo”, complementa o programador.
Baggett lembra que todos os softwares rodam em um contexto, ou seja, mesmo que um programa não tenha bugs em seu código, ele pode rodar de maneira inesperada caso o sistema operacional no qual ele se baseia apresente problemas. “Se algo der errado, você fica com lixo. Ao fazer cookies, isso geralmente é uma massa sem gosto. Com softwares, geralmente ‘a tarefa congela’ ou surge um popup com um aviso assustador. Ou o programa simplesmente fecha”, conclui.
Para finalizar, os famigerados vírus também podem ter participação nesse processo, corrompendo processos importantes e fazendo com que seu computador se comporte de maneira inesperada. Como esse problema pode se espalhar entre diferentes máquinas, ele ganhou o mesmo nome do tipo de organismo que causa doenças que se espalham entre pessoas e animais.

Hardware problemático

Os momentos em que seu PC trava também podem estar relacionados a problemas de hardware, o que complica um pouco a situação. Isso porque, para descobrir o que está acontecendo, geralmente é preciso abrir a máquina e testar um a um seus componentes até descobrir qual elemento da equação não está funcionando de maneira correta.
Entre os motivos mais comuns para que sua máquina congele está o excesso de calor, que pode fazer com que o computador “entre em pânico” e pare de executar suas tarefas como maneira de evitar danos físicos. O problema também pode estar relacionado a fontes defeituosas, que deixam de fornecer energia aos componentes de maneira adequada.
Outros vilões comuns são problemas na memória RAM, que pode ser corrompida de maneira imprevisível. No caso, recomendamos usar programas como o MemTest86+ para realizar testes individuais com cada chip equipado em seu computador de forma a detectar aquele que apresenta defeitos para que você possa substituí-lo.
Também são comuns problemas causados pelo disco rígido, que surgem devido à maneira como esse hardware se comporta. Cada dispositivo do tipo armazena informações em unidades chamadas de setores, que podem se corromper após certo tempo de uso ou perder as informações que armazenavam — caso elas estejam relacionadas ao sistema ou a um software específico, isso pode resultar em travamentos. Além disso, também deve-se levar em consideração defeitos na cabeça de leitura dos HDs, que resultam em riscos que trazem como consequência a perda de dados.
Outra responsável usual pelos travamentos é a CPU, que pode se comportar de maneira anormal devido ao excesso de calor (situação especialmente comum aos adeptos do overclock) ou à realização de atividades que excedem sua capacidade. A sujeira que se acumula naturalmente nos coolers de resfriamento de sua máquina também causa esse tipo de situação, então é uma boa ideia realizar limpezas periódicas para manter tudo funcionando da maneira devida.
Como você pôde notar por esses exemplos (que não têm a intenção de abranger a totalidade das possibilidades), são inúmeros os motivos pelos quais um hardware pode resultar em travamentos. Infelizmente, nem sempre a causa desse tipo de problema fica clara em um primeiro momento (como a instalação de uma nova peça, por exemplo), o que muitas vezes obriga você a “destrinchar” o computador e testar componentes de maneira individual até que a causa da dor de cabeça seja desvendada.

Tudo depende do contexto

Apesar dos avanços cada vez mais rápidos pelos quais o mundo da tecnologia passa, são poucas as chances de que os travamentos sejam totalmente eliminados em alguns momentos. Isso porque, quanto maior a complexidade dos softwares e hardwares disponíveis no mercado, maior a necessidade de que desenvolvedores e fabricantes trabalhem de forma atenta para evitar possíveis conflitos e erros.
Como já dissemos anteriormente, são inúmeros os motivos pelos quais seu computador pode travar, embora haja casos mais específicos que são facilmente detectáveis após certa pesquisa. Assim, caso seu computador “dê tilt”, não é preciso se desesperar, mas tenha a certeza de que isso foi resultado de algum problema — cuja resolução depende de todo um contexto próprio.
Há muitas causas possíveis para esse cenário desolador, e é importante buscar informações sobre a maior parte delas para evitar ser vítima de uma máquina que “dá pau toda hora”. Assim, continue acompanhando o TecMundo para descobrir dicas de limpeza e conselhos que ajudam o computador a rodar melhor, entre outros segredos e técnicas para você lidar com tudo o que o mundo da tecnologia oferece.
Fonte:Tecmundo
Postar um comentário